Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Sociais Aplicadas > Arquivologia

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: A Proteção Social

1 INTRODUÇÃO O nascedouro foi em 1883, na Alemanha com o Chanceler Bismarck. Foi um marco tanto da Seguridade Social como da Previdência Social (primeiro sistema escrito de previdência social – seguro social). A forma de contribuição ou custeio para…


Publicidade


Publicidade

Gestão de Arquivos ( Fase Intermediária )

Trabalho enviado por: Hammás

Data: 22/04/2003

Gestão de Arquivos

INTRODUÇÃO

Até o final da Segunda Guerra Mundial, metade do século XX, a tradição arquivista clássica considerava apenas duas idades dos arquivos: a idade corrente e a idade permanente, onde os documentos passavam de uma fase para outra, não sendo prevista qualquer fase de transição.

Pouca coisa mudou se formos analisar com cuidado o tema proposto por este trabalho. A Lei 8159 de 08 de janeiro de 1992 define muito bem e oferece respaldos para os rumos que a arquivistica brasileira deve tomar.

Mas, infelizmente, a realidade é totalmente outra, bastante diferente do que se prega na lei. Não pelos arquivos públicos, centro de documentação ou órgãos produtores de documentos gerenciados pelo governo, pois estes devem seguir o que determina a Lei. Digo pelos arquivos particulares ( privados ) e documentos produzidos por pequenas prefeituras. Aqueles que não são identificados pelo Poder Público como de interesse público, aqueles onde não se recebe tratamento algum. São arquivos de diversas empresas de pequeno e médio porte e prefeituras também com as mesmas características, onde a vantagem de se ter um fluxo informacional bem administrado ainda não está fundamentado. São nessas empresas e prefeituras de pequeno e médio porte que certamente quase posso afirmar que os documentos passam da fase corrente para a permanente ou, quiçá, por fase alguma.

É uma pena, pois essas tais empresas e prefeituras poderiam absorver o grande número de profissionais que são colocados no mercado a cada ano, em troca de um bom gerenciamento informacional, e com possíveis e boas perspectiva de lucratividade.

 

DEFINIÇÕES DE ARQUIVOS INTERMEDIÁRIOS

Definições e conceitos sobre arquivos intermediários não se diferem muito uns dos outros. Levando-se em conta as inúmeras considerações sobre o tema, primeiramente iremos analisar o que diz respeito à Lei Federal que rege a nossa política nacional de arquivos, sancionada em 08 janeiro de 1991.

A Lei 8159 de 08 de Janeiro de 1991 que dispõe sobre a Política Nacional de Arquivos Públicos e Privados nos esclarece como o Brasil se propõe a lidar com sua política nacional de arquivos. Onde é dever do Poder Público zelar pela gestão documental e pela proteção dos documentos de arquivos, tais como: instrumento de apoio à cultura, à administração, ao apoio do desenvolvimento científico, e elementos de prova e informação.

O Artigo 2º da referida Lei impera da seguinte forma: " Consideram-se arquivos, para os fins desta Lei, os conjuntos de documentos produzidos e recebidos por órgãos públicos, instituições de caráter público e entidades privadas, em decorrência do exercício de atividades específicas, bem como por pessoa física, qualquer que seja o suporte...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town