Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Sociais Aplicadas > Arquivologia

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: A Proteção Social

1 INTRODUÇÃO O nascedouro foi em 1883, na Alemanha com o Chanceler Bismarck. Foi um marco tanto da Seguridade Social como da Previdência Social (primeiro sistema escrito de previdência social – seguro social). A forma de contribuição ou custeio para…


Publicidade


Publicidade

Disseminação de Acervos Artísticos Via Internet

Trabalho enviado por: Ana Cristina Laurentino dos Santos

Data: 29/07/2003

DISSEMINAÇÃO DE ACERVOS ARQUIVÍSTICOS VIA INTERNET


1 Introdução

Da necessidade de se comunicar, de registrar suas observações, pensamentos e atos, o homem a criou a escrita. Ao registrar, o homem estava documentando seu passado, presente e futuro, e dando vida aos arquivos.

As transformações sofridas ao longo da história, o surgimento dos notários, os arquivos como arma política e como laboratórios de pesquisa histórica, marcam o desenvolvimento da atual arquivística, que tem a responsabilidade de preservar e disseminar suas informações buscando meios que assegurem estes objetivos. A história dos arquivos traz consigo a evolução do suporte da escrita, desde a pedra e tabletes de argila, passando pela imprensa, até os documentos informáticos.

Em 2000, tive a oportunidade de participar como bolsista de iniciação científica, em um projeto chamado "Disseminação dos acervos de História da Ciência do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), diante de tal fato, e perto de concluir a graduação achei interessante escrever sobre disseminação de acervos arquivísticos na Internet, já que, nas ultimas décadas as novas tecnologias invadiram ... o universo daqueles que tem a informação como matéria-prima de seu desempenho profissional... .

Ao elaborar o projeto da monografia, delimitei objetivos que procuravam responder algumas questões ainda obscuras para mim, como: quais os requisitos necessários para a disponibilização dos acervos arquivísticos via Internet, as dificuldades encontradas pelas instituições para realizar este tipo de trabalho, conhecer as vantagens trazidas e demonstrar a importância desse instrumento para a arquivística.

Ao começar o levantamento bibliográfico que pudesse ser utilizado como referência, fiquei surpresa em saber que, ainda, poucos autores da área arquivística constróem conhecimentos científicos relacionando arquivos e Internet. E mais ainda, a surpresa de encontrar pouquíssimas instituições arquivísticas que se renderam a este complicado e maravilhoso meio de comunicação.

Nesta monografia estão apresentadas dificuldades enfrentadas para a implantação de acervos via Internet, e vantagens trazidas com este trabalho para 3 instituições:

  • Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), Rio de Janeiro
  • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC), Rio de Janeiro
  • Arquivo Edgard Leuenroth (AEL), Campinas, São Paulo;


Internet : uma revolução na sociedade

2.1 Breve histórico e conceito

A Internet foi criada com o objetivo de impedir um desastre atômico, nos tempos incertos da Guerra Fria. Possuía uma arquitetura, cujo objetivo era funcionar como um sistema de comunicação independente, mesmo que Washington fosse riscada do mapa...

Quando a Internet foi criada pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, no final da década de 50, seu objetivo inicial era permitir manter uma comunicação contínua, caso o E.U.A fosse atacado na Guerra Fria, assim, com uma rede descentralizada, vários pontos poderiam continuar comunicando-se entre si. Os primeiros experimentos sobre o que se tornou a Internet, foram realizados em 1966, com a Advanced Research Projects Agency (ARPA), que pertencia ao Departamento de defesa dos Estados Unidos, e os primeiros nódulos da Rede ARPANET, foram criados em 1969. Porém foi da década de 80 a 90 que ela se popularizou.

As características iniciais da Rede eram:

  • Não ser vulnerável a um ataque nuclear, em caso de destruição de Washington, outros pontos da rede funcionariam;
  • Não ter centro, pois em caso de um ataque o centro seria o primeiro ponto a ser atacado;
  • Ser robusta, ou seja, que trabalhasse nas condições mais adversas possíveis;
  • Cada um dos computadores conectados entre si deveria ser equivalente, com sua própria autoridade para originar, passar e receber mensagens;
  • A rota particular que cada pacote (de arquivos e/ou mensagens) fizesse não importasse, somente interessando o resultado final;
  • pacote uma vez na rede deveria ir de nó a nó, mais ou menos na direção do destino, até que encontrasse o local correto;
  • Não fosse importante se grande parte da rede estaria fora do ar. Os pacotes continuariam vivos trafegando pelos nós que se encontrariam ativos.

Evolução da rede de 1969 até 1993:

1969 - A rede recebe, na sua criação, o nome de ARPANET (ARPA: Advanced Research Projects Agency), que interliga 4 supercomputadores de laboratórios de pesquisa de algumas Universidades, Departamentos de Defesa e dos Militares.

1970 - os pesquisadores passaram a utilizar a rede como correio eletrônico entre si;

1971 - já eram 15 supercomputadores interligados;

1972 - já eram 37 supercomputadores;

1975 - é criado um novo departamento de defesa nos Estados Unidos chamado de Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA), que assume os trabalhos da ARPA relativos à ARPANET.

Nessa época começaram os estudos sobre um novo protocolo de comunicação em rede que fosse além de um simples protocolo, porém implementasse uma arquitetura de rede bem mais simples do que a utilizada OSI. Esse novo protocolo viria a ser o TCP/IP. A Universidade da Califórnia, uma das integrantes da ARPANET, ficou incumbida de distribuir o TCP/IP gratuitamente, juntamente com as cópias do UNIX.

1980 - devido ao seu grande crescimento, a rede foi dividida em duas :ARPANET (civil) e a MILNET (militar);

1985 - Os pesquisadores começam a sentir a necessidade de uma rede independente dos militares, onde o objetivo maior seja a pesquisa e não o desenvolvimento bélico. A NSF (National Science Foundation) cria a NSFNET, interligando todos os supercomputadores dos maiores centros americanos de pesquisa;

1986 - as redes NSFNET e ARPANET se conectaram, e o nome da grande rede chamou-se INTERNET;

1987 - os E.U.A liberaram a Internet para uso comercial;

1989 - outras Universidades do mundo começam a se ligar na Internet; Surge a proposta da World Wide Web (www), difundida pelo Centro Europeu de Pesquisa Nuclear. A www é baseada em conceitos de hipertexto e hipermídia, ou seja, funcionaria como uma revista, combinando textos, ilustrações e links por autor, que o leitor poderia utilizar para ter acesso a outros documentos.

1990 - O ARPANET foi desativado, dando lugar ao Defense Research Internet (DRI); Criação do primeiro protótipo de navegador Web.

1992 - iniciou-se o desenvolvimento de um backbone europeu (EBONE). Nos EUA surgiram as primeiras empresas provedoras de acesso comercial à Internet;

A partir de 1993 a Internet deixou de ser uma instituição de natureza apenas acadêmica e passou a ser explorada comercialmente. Neste período surge o conceito WEB, que fez com que a Internet "explodisse" mundialmente.

Hoje a Internet pode ser definida como uma organização internacional não governamental, formada por governos, sociedades, pessoas físicas e organizações sem fins lucrativos, que oferece vários serviços, através da World Wide Web (www)., ou, um meio de comunicação revolucionário, rápido e que pode ligar milhares de pessoas, ao mesmo tempo, à um determinado lugar. Onde se consegue trocar informações com o mundo inteiro sem se deslocar fisicamente.

2.2 A Internet no Brasil

A Internet chegou no Brasil em 1988 pela FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e no Rio de Janeiro pela - UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro e LNCC - Laboratório Nacional de Computação Científica.

Em 1989 o Ministério de Ciência e Tecnologia criou a Rede Nacional de Pesquisas (RNP). Esta Instituição tem como objetivos iniciar e coordenar os serviços de acesso à Internet no Brasil. A primeira versão de serviços Internet, com pontos em 21 estados no País, foi implantada pela Rede Nacional de Pesquisa (RNP) de 1991 a 1993.

A exploração comercial da Internet no país foi iniciada em dezembro de 1994 a partir de um projeto piloto da Embratel, onde foram permitidos acesso à Internet inicialmente através de linhas discadas. Em junho de 1995 uma decisão do Governo Federal definiu regras gerais para a disponibilização de serviços Internet para quaisquer interessados no Brasil.

2.3 Informação e redes eletrônicas

A informação em seus diversos suportes e aspectos, incluindo a Internet, é requisito fundamental para o desenvolvimento social. As condições em que é produzida, disseminada, utilizada e preservada, definem o grau de processo cultural, científico e tecnológico da sociedade.

Benedicto Silva definiu informação como a noção, idéia ou mensagem contida num documento. Ao contrário do documento, a informação é sempre incorpórea; por isso é que foi definida como "matéria-prima abstrata".

Após a 2ª Guerra Mundial, as instituições arquivísticas procuraram possibilitar, ao público em geral, um maior...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town