Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Biológicas > Fisioterapia

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: A Proteção Social

1 INTRODUÇÃO O nascedouro foi em 1883, na Alemanha com o Chanceler Bismarck. Foi um marco tanto da Seguridade Social como da Previdência Social (primeiro sistema escrito de previdência social – seguro social). A forma de contribuição ou custeio para…


Publicidade


Publicidade

A aplicabilidade da dan?na elabora? da imagem corporal em uma abordagem psicomotora

Trabalho enviado por: Wallace De Carvalho Ramires

Data: 27/08/2010

Universidade do Grande Rio
Prof. José de Souza Herdy
Wallace de Carvalho Ramires
A aplicabilidade da dança na elaboração da imagem corporal em uma abordagem psicomotora
Duque de Caxias
2007

RESUMO

A psicomotricidade objetiva desenvolver e compreender a linguagem do corpo e o controle corporal: a capacidade de coordenar e dissociar os diversos segmentos corporais, com precisão, economia de gestos e eficácia, resultantes da integração de condutas motoras, afetivas e intelectuais, em interação com pessoas e objetos do meio ambiente, desenvolvendo no ser humano um conhecimento das potencialidades de seu corpo, a partir de uma concepção nova do corpo, manifestada através da linguagem corporal. O esquema corporal é a base deste trabalho e para isso a dança foi destacada como principal instrumento objetivando a formação ou reconstrução da imagem corporal após sua perda ou até mesmo a sua criação. A dança revela a alegria de se descobrir através da exploração do próprio corpo os movimentos, desenvolvendo a coordenação motora, equilíbrio, flexibilidade, além de trabalhar aspectos como criatividade, musicalidade, socialização e o conhecimento da dança em si. A ênfase se dá na exteriorização dos movimentos e serve para encontrar harmonia e equilíbrio entre corpo, mente e emoções, proporcionando uma consciência corporal, trabalhando o auto-conhecimento, permitindo e proporcionando ao indivíduo um bem estar geral.
Palavras-chave: Imagem corporal, linguagem não verbal, psicomotricidade, dança, movimento, consciência corporal, ritmo corporal, musicalidade. esenvolvendo a coordenaçadetde movimentostravivando a criaçno a ter uma melhor adptaçcidade de coodenar

LISTA DE ILUSTRAÇÃO

FIGURA 1. Criadora do método dançaterapia, mestra internacional da dança, bailarina-coreógrafa e educadora argentina María Fux.
FIGURA 2. Maite León a frente de sua companhia de Psico Ballet.
FIGURA 3. Bailarinos de Psico Ballet Maite León
FIGURA 4. Inauguração da escola Si Danza (Centro Internacional de Dançaterapia)

SUMÁRIO

LISTA DE ILUSTRAÇÕES

1 INTRODUÇÃO
2 A Imagem Corporal
2.1 Psicomotricidade e seu Fundamento
2.2 Uma Visão Geral da Dança e a Musicalidade no Indivíduo
2.3 A Consciência Corporal Através do Corpo em Movimento
3 cONCLUSÃO
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ANEXOS

INTRODUÇÃO

Dançar é vivenciar e exprimir, com o máximo de intensidade, a relação do homem com a natureza, com a sociedade e com o futuro. É antes de tudo, participar do movimento e do domínio sobre ele. Com a terapia, de um modo geral, a prática da dança permite desenvolver e enriquecer as qualidades físicas, mentais e emocionais do homem. A beleza do corpo interior, a visão, a precisão, a coordenação, a aceitação da naturalidade, a flexibilidade, a tenacidade, a imaginação, a criação e expressão, o equilíbrio mental e espiritual são a essência do trabalho da dança como terapia. (Almeida, 2004)
Este intuito somado com a prática da psicomotricidade, onde o objetivo de estudo é o homem através do seu corpo em movimento nas relações com seus mundos internos e externos, leva ao conhecimento de que a educação dos movimentos proporciona ao indivíduo uma melhor utilização das capacidades psicofísicas favorecendo seu desenvolvimento. (Guimarães, 2003)
É importante o uso da dança como instrumento psicomotor na elaboração da imagem corporal, pois através desta prática obtêm-se o domínio do equilíbrio e do tônus da postura, o controle e a eficácia das diversas coordenações globais e segmentares, a consciência do próprio corpo assim como a organização do esquema corporal, uma estrutura espaço-temporal correta juntamente com uma boa orientação e lateralização. (Torres, 2006)
Uma memória afetiva é construída desde os gestos iniciais de uma criança, fazendo com que sejam expressos no seu movimento, de forma consciente ou não, sentimentos como frustração, desagrado, prazer, euforia, etc. e a medida que o indivíduo domina melhor seu corpo e o sentir, gradativamente ele irá conduzir-se com mais segurança no seu meio ambiente. (Silva, 2004)
São os gestos do corpo que vão levar o indivíduo à consciência de seus limites e possibilidades. A coordenação psicomotora é uma qualidade ligada diretamente a expressão do corpo, porque todo e qualquer movimento corporal tem uma conotação psicológica ligada às sensações. (Silva, 2004)
Aprender a se movimentar, refere-se a uma progressiva aquisição de habilidades motoras, de forma que cada experiência tende a acrescentar informações para a independência e autonomia corporal e sua maturidade sócio-emocional, para que com o passar do tempo o indivíduo conheça seu corpo, aproprie-se de novas ações corporais e enriqueça suas possibilidades de movimentar-se expressivamente. (Almeida, 2004)
Esse trabalho tem a finalidade de mostrar a função da dança no auto-conhecimento corporal e suas possibilidades, estimulando os indivíduos, sejam eles portadores de necessidades especiais, adultos, crianças ou idosos, a buscar o prazer de viver, conhecendo e controlando melhor o seu corpo, dando funcionalidade e conhecimento de cada sentimento expresso pela linguagem não-verbal, criando ou recriando mobilidade, proporcionando um desenvolvimento sensório-motor preciso e um contato maior com o mundo que o cerca pelo simples fato de fortalecer a identidade pessoal e a auto-estima. (Bittencourt, 2005)

2 A imagem corporal

O conceito imagem corporal vem sendo abordado por diversos autores, de modo que o conhecimento e reconhecimento do próprio corpo seja vivenciado individualmente por cada pessoa de um ângulo único e singular. Sem regras ou métodos e de uma forma generalizada o conceito de imagem corporal é a maneira com que enxergamos a figuração do nosso corpo pela formação da imagem em nossa mente, ou seja, é a representação interna da aparência externa, elaborada através da sensibilidade apurada dos órgãos dos sentidos, oriundos de experiências vivenciadas pelo indivíduo, onde o mesmo cria um referencial do seu corpo, para o próprio e para o outro. (Palazzo, 2003)
A história corporal de cada ser humano se desenvolve a partir de um modelo corporal com possibilidades de construção, desmanche e reconstrução através dos processos de identificação, personificação e projeção que atuam nesse contínuo desenvolvimento da imagem corporal, demonstrando o quanto ... o modelo postural é lábil (Schilder: 1994 p.168), e que as experiências imediatas do corpo podem ser distorcidas e modificadas por influências internas e externas. Sujeito a alterações a imagem corporal não é um fenômeno estático e sim mutável de acordo com o contato contínuo com o mundo e com nós mesmos, onde seu processo de construção se divide em três aspectos que se relacionam como os aspectos fisiológicos, emocionais e sociais que são explorados através de experiências corporais e de vida desde o nascimento até a morte. (Silva, 2004)
Valéria Amim, citando Dolto, afirma que:
(...) o esquema corporal especifica o indivíduo enquanto representante da espécie, quaisquer que sejam o lugar, a época ou as condições nas quais ele vive. É ele, o esquema corporal, que será o intérprete ativo ou passivo da imagem do corpo, no sentido de que ele permite a objetivação de uma intersubjetividade, de uma relação libidinal linguageira com os outros que, sem ele, sem o suporte que ele representa, permaneceria para sempre um fantasma não-comunicável. (1992:14). (Amim, 2004)
Quando criança é de fundamental importância o esquema corporal, pois é a partir dele que se forma a personalidade que a mesma levará pelo resto da vida, sofrendo adaptações e acréscimos durante seu desenvolvimento e tomada de consciência do seu corpo, formando então uma estruturação espacial. (Silva, 2004)
A estruturação da imagem corporal é sempre um processo inacabado, passível de mudanças, pois desde bebês experimenta-se sensações, sentimentos e situações que refletem de alguma forma nessa criação, o que leva a crer que tudo ao redor, desde a primeira fase da vida, de alguma maneira influenciará no processo, fazendo caracterizações por toda vida, através das vivências individuais. (Silva, 2004)
Para que ocorra essa troca de informações do indivíduo para o mundo e do mundo para o indivíduo são fundamentais o que o autor Paul Schilder chama de "gerenciadores", que assume o papel de mediadores de informações do meio externo para o meio interno e vice e versa: As zonas erógenas e os orifícios do corpo, que são base de emoções fortes, cujas identificações destes no modelo postural faz com que o indivíduo tenha um contato mais íntimo consigo e com o mundo; Os olhos também têm grande influência como orifícios simbólicos, pois através deles a imagem do exterior é identificada e codificada no cérebro de forma a reproduzir corporalmente esse conjunto de informações, da mesma maneira quando o estímulo visual for registrado novamente.(Silva, 2004)
Na composição do quadro de gerenciadores também tem-se outras impressões sensoriais e vivenciais como os cheiros, os sabores, as sensações térmicas e táteis que terão um papel significativo para essa construção. Contudo as sensações táteis serão de grande relevância, pois delas surgem outros dois elementos importantes de experimentação com o corpo: o contato e o toque. O contato com os outros e o interesse que estes demonstram pelas diversas partes do corpo de um indivíduo, assim como o que os outros fazem com seus corpos, despertando atenção a um amor próprio e a manutenção da auto-estima como modificações físicas e até mesmo do modelo postural afim de se ajustar a grande vivência mecanicista.(Silva, 2004)
O toque é a linguagem dos sentidos na qual todos podem ser socializados, sendo capaz de ampliar a valorização do outro e do mundo em que se vive, e de aprofundar a compreensão em relação a eles, através de demonstrações de envolvimento, de modo que, o ser humano pode passar a vida toda cego, surdo e completamente desprovido dos sentidos do olfato e do paladar, mais não poderá sobreviver de modo algum sem as funções desempenhadas pela pele, pois além de barreira entre os meios e envelope narcísico, ainda pode substituir a função da visão com o toque abrindo uma nova perspectiva de entendimento pra quem é deficiente visual.(Silva, 2004)
Assim como o toque e o contato tem-se a dor, libido e prazer que também são sensações importantes para construção da imagem corporal, pois desde o começo de vida de um indivíduo, elas fazem...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town